Ter

18

Out

2011

ENERGIA - BIOENERGIA

ENERGIA CÓSMICA OU IMANENTE

 

 

É o principio vital que interpenetra e nutre a todas as coisas do Universo Interdimensional. É aparentemente onipresente e impessoal, permeando praticamente todos os planos de manifestação.


Podemos, então, dizer que existe uma energia densa (etérica), astral (etérea) e mental.


Einstein, na verdade, parece que partiu desse princípio quando demonstrou a substancial identidade entre a energia e a matéria, e a possibilidade de transformar uma em outra: a matéria é energia em estado de condensação; a energia é matéria em estado radiante.

 

A nomeclatura sobre a energia é bastante diversificada, variando de filosofia para filosofia. Ex.: Luz Astral (Cabala), Prana (Yoga), Mana (Kahunas), Força Ódica (Barão Von Reichenbach) , Energia Orgônica (Wilhelm Reich), Telesma (Hermes Trismegisto) .

 


A palavra Energia é derivada do grego “Energes” (ativo) que, por sua vez, deriva de “Ergon” (obra). Logo, etimologicamente significa “Atividade”; “Movimento”.

 


A palavra Prana, como a energia é mais conhecida na Índia, pátria original do Yoga, é derivada do sânscrito “Pra” e de “An” (respirar, viver).

 


Logo, etimologicamente significa “Sopro Vital”.

 


No Japão, a energia é conhecida como “Ki”.

 


Na China, é conhecida como “Chi”.

 

 

As energias que os seres vivos absorvem e metabolizam são oriundas de fontes variadas: o sol, o espaço infinito, o próprio planeta...

 


Os ocultistas orientais dividiram essas energias em três grupos distintos:

 


1. Fohat (eletricidade) : energia conversível em calor, luz, som, movimento, etc;

 

2. Prana (vitalidade) : energia integrante que coordena as moléculas e células físicas e as reúne num organismo definido;

 


3. Kundalini (fogo serpentino): energia primária, violenta, estruturadora das formas. É oriunda do centro do planeta.

 

 

 

ENERGIA CONSCIENCIAL OU PESSOAL

 

 

É a energia cósmica que a consciência absorve e emprega nas suas manifestações gerais.

 


Essa energia consciencial é chamada em geral de energia anímica ou magnetismo pessoal.

 


Ao ser metabolizada pela consciência, a energia cósmica deixa de ser impessoal e assume as características pessoais da criatura.

 

 

 

FONTES BÁSICAS DE ENERGIA VITAL

 

1.  Ar atmosférico, através do aparelho respiratório e da pele;

 

2.  Alimentação de sólidos e líquidos, através do aparelho digestório;

 

3.  Absorção de energia pelos chacras;

 

4.  Sono, através da descoincidência dos veículos de manifestação da consciência;


5. Projeção da consciência, através da absorção energética no plano astral.

 

 

ATIVAÇÃO ENERGÉTICA

 

 

A consciência pode ativar as suas energias conscienciais de três maneiras:


1. Circulação Energética (circulação fechada; estado vibracional) ;


2. Absorção Energética (recepção energética);

 

3. Exteriorização Energética (Irradiação energética).

 

 

 

PROPRIEDADES BÁSICAS DA ENERGIA CÓSMICA

 

 

1.  É acumulável por um sujeito devidamente treinado;

 

2.  É transmissível (pode-se energizar qualquer coisa);

 

3.  Tem polaridade positiva e negativa (YIN e YANG);

 

4.  Pode ser dinamizada pelo campo energético humano através da vontade;

 

5.  Pode acumular qualidades específicas, mesmo quando é inespecífica em si mesma;

 

6. Pode formar parte da atmosfera de um planeta (energia telúrica, aérea, aquática e ígnea);


7. É uma degradação de energia mental cósmica;


8. Pode adotar uma diversidade de manifestações, dependendo do ambiente onde interpenetra;

 

9. tem três atividades básicas no campo energético humano: recepção, exteriorização e circulação fechada (estado vibracional) ;

 

10. A matéria é energia condensada (luz capturada gravitacionalmente) ; a energia é matéria em estado radiante. Logo, tudo é manifestação, em graus variados, de uma mesma energia. A ENERGIA SEGUNDO MAXWELL (Extraído do livro: “Medicina Magnética”; 1678.)

ENERGIA CÓSMICA – O PODER MILAGROSO DO UNIVERSO

“Você possui a capacidade de adotar uma idéia e induzir ânimo nela, fixando-a em sua mente, através do sentimento.



Quando você se sente unido ao seu desejo, põe em movimento a Energia Cósmica, fazendo com que seu desejo se transforme em realidade; essa é a LEI CRIATIVA operando em você.



Tal conhecimento pode operar maravilhas em sua vida, basta apenas que você abra sua mente e coração para receber.



Identifique-se agora com o seu objetivo, una-se a ele mental e emocionalmente.



Ative o ideal em sua mente, IMAGINANDO FREQUENTEMENTE a sua realização.



Assim como se acrescenta um tijolo a outro na construção de uma casa, a energia mantida irá gradativamente crescer e se expandir, até que o subconsciente ficará repleto com seu pensamento e sentimento.



Na medida em que perseverar e manter-se fiel a sua visão,a Energia Cósmica fluirá,através do padrão mental,e fará com que seu desejo seja realizado."

 

 

 

Joseph Murphy

AURA

Aura (do latim: "aura": "sopro de ar"):

(Matéria publicada na revista "Espiritismo e Ciência n. 2 - Ed. Mythos).

 

 

É o campo energético que apresenta-se em torno do corpo denso. Aparece à percepção parapsíquica do clarividente como um campo luminoso mesclado por várias cores. Essas cores refletem a qualidade dos pensamentos e sentimentos manifestados pela consciência.

 

 

 

A aura é uma força energética evolutiva, que reúne todas as nossas informações físicas e metafísicas, que sustenta a vida e caracteriza o ser humano. Sem ela, não poderíamos existir. Ela é uma radiografia de todas as nossas vidas desde o momento de nossa formação espiritual e contem dados sobre o passado, sobre a vida presente e até mesmo tendências futuras.

 

Sob condições adequadas, que discutiremos mais adiante, a aura pode ser vista por quase todos. Embora de maneira geral sua visualização constitua um processo natural e espontâneo, o aperfeiçoamento da nossa capacidade de vê-la quase sempre requer a pratica, em algum grau, de procedimentos sistemáticos. Pelo exercício e pela experiência, é possível desenvolvermos a faculdade não só de ver a aura, mas também de interpretá-la.

 

Embora haja alguns dispositivos que ajudam, tais como óculos especiais, em geral, não há necessidade de equipamentos especiais, os quais na verdade poderiam dificultar a visualização, em alguns casos. Existem também vários tipos da maquinas fotográficas, incluindo a que é usada na eletrofotografia, que podem ser empregados para registrar a aura (ou detalhes dela). Contudo, em razão de contínua transformação da aura, a utilidade desses aparelhos é limitada, exceto como instrumentos de pesquisa.

 

A aura é um fenômeno natural, e é comum as crianças – sem qualquer treinamento em procedimentos sistemáticos de visualização – relatarem que costumam vê-la. Todavia, com a maturidade, a nossa capacidade de visualização espontânea diminui e pode acabar escondida no subconsciente. É concebível, entretanto, que continuemos a ver e a reagir à aura no nível subconsciente pelo resto da vida.

 

A aura constitui um sistema dinâmico e evolutivo, portanto, sujeito a uma continua transformação. Embora sua constituição exclusiva, ou estrutura básica, seja normalmente estável, o sistema áurico dispõe de flexibilidade suficiente para alterar sua coloração, intensidade, amplitude e freqüência.

 

Atualmente existem técnicas extremamente eficazes para visualizarmos a nossa aura. Descreveremos vários desses procedimentos.

 

A despeito de a aura visível, como é usualmente visualizada, estender-se apenas a alguns centímetros do corpo (linha branca), é possível que uma aura inteira , enquanto fenômeno energético se estenda ao infinito. É bastante provável que a aura humana esteja em constante interação com outras dimensões de tempo, espaço, energia e matéria.

 

A aura é sensível à totalidade do nosso ambiente interno e externo. Os fatores mentais, físicos, espirituais interagem constantemente para atuar sobre a aura. Traços de personalidade, condições de saúde, interesses pessoais, questões sociais, estados emocionais e as circunstancias do momento podem exercer um efeito drástico e imediato sobre a aura. Mesmo eventos distantes, globais ou cósmicos, podem alterar a aura.

 

Uma vasta gama de estados mentais negativos, tais como ansiedade, hostilidade e frustrações, podem exercer um efeito devastador sobre o corpo e drenar a energia do sistema áurico. Da mesma forma, a falta de auto-estima, um conceito desfavorável sobre si mesmo e relação sociais negativas podem debilitar a aura e reduzir seriamente seu suprimento de energia. Os poluentes ambientais e certas substâncias presentes nas drogas podem temporariamente descolorir a aura ou diminuir sua extensão.

 

O amor, a força mais poderosa do universo, invariavelmente expande, ilumina e energiza a aura. Dentre os demais fatores que a fortalecem destacam-se uma imagem positiva de si mesmo, sensação intensa de bem-estar, equilíbrio e harmonia interiores e interesse genuíno pelos outros. Cada esforço para ajudar o próximo ou para tornar o mundo um lugar melhor injeta uma energia que se irradia por todo o sistema áurico.

 

Por constituir uma crônica da historia de cada individuo, a aura pode fornecer informações importantes e não disponíveis por meio de outras fontes. Um número cada vez maior de evidências sugere que, alem das experiências de vidas passadas e presente, os eventos futuros, positivos e negativos, podem estar registrados na aura. Sua simples visualização é capaz de ativar nossas faculdades psíquicas, incluindo telepatia, premonição e clarividência.

 

A aura humana jamais perde a coloração. Embora a intensidade e a distribuição de cores possam variar consideravelmente, em termos gerais, a aura se caracteriza pela predominância de uma cor numa estrutura áurica relativamente estável. Embora às vezes se observem áreas brancas, a aura inteiramente branca, que significa perfeição, não existe.

 

Assim como os seres humanos, todos os animais tem aura, embora suas características sejam substancialmente diferentes da aura humana. A aura dos animais é normalmente menos complexa no que se refere à estrutura, mas sua coloração á mais intensa do que a nossa. Comparada à aura dos animais selvagens, a aura dos animais domesticados tem uma amplitude maior e uma coloração mais suave. Curiosamente, a aura dos animais de estimação freqüentemente assume certas características de coloração, inclusive a cor dominante, dos seus primeiros donos. Com exceção dos animais doentes ou estressados, tais como aqueles que foram retirados da vida selvagem e colocados numa jaula, raramente se constata descoloração na aura dos animais.

 

Todas as plantas, qualquer que seja o seu porte, são dotadas de sistemas energéticos próprios, alem de um campo energético que as circunda, o qual, embora não seja habitualmente chamado de aura, apresenta algumas características semelhantes às da aura dos seres humanos e dos animais.

 

Em muitos casos, os padrões energéticos ao redor das plantas aparecem como uma extensão iridescente de sua estrutura básica e de suas cores. Percebemos ao longo de experiências que a nossa interação com a vida das plantas, especialmente das arvores, pode influenciar o nosso próprio sistema energético.

 

A aura é uma manifestação visível da força vital que energiza a totalidade do nosso ser – físico, mental e espiritual. Sem essa força vital que o energiza, o corpo físico não funcionaria. Embora o corpo físico dependa da força vital refletida na aura, essa força vital independe do corpo físico. A aura, ao manifestar a força vital que serve de base para a nossa existência, também manifesta a nossa imortalidade como seres espirituais.

 

O corpo astral, às vezes chamado de corpo etérico, é o correspondente não físico do corpo biológico. Ambos são mantidos pelo mesmo sistema energético de origem cósmica – o corpo astral em caráter permanente e o biológico, apenas temporário. Sem essa fonte de energia, não poderíamos existir fosse sob a forma física, mental e espiritual. Como já observado aqui, a aura humana é a manifestação visível dessa fonte de energia.

 

A percepção consciente constitui a essência da nossa existência como fonte permanente de energia. A consciência individual é energia cósmica especialmente projetada para assegurar tanto a nossa individualidade como a nossa imortalidade. A nossa existência como entidade consciente é sustentada por um sistema de energia que compreende a aura e seu núcleo. É bastante freqüente considerar-se esse núcleo como a eterna centelha da divindade que nos liga às nossas origens espirituais e dê sentido e permanência à nossa existência consciente.

 

A morte, mais do que um término de nossa existência como ser consciente, é o portal para um nova e estimulante dimensão de crescimento continuo. Embora na morte, o corpo físico “expire” como forma de vida, o não físico permanece energizado ao ascender para o plano extrafísico. Neste plano, a força vital permanente, refletida pela aura, continua sendo a mesma força vital de energização da nossa existência como entidades conscientes. Em alguns casos, a aura desprendida é visualizada como uma forma brilhante de energia que se ergue suavemente do corpo físico no momento da morte.

 

Em resumo, o sistema áurico humano está intimamente ligado a totalidade do nosso ser, permeando-nos e energizando-nos nos níveis físicos, mental e espiritual. É uma crônica em permanente evolução das nossas vidas, desde os nossos primórdios até o presente. É a manifestação do nosso destino de permanência e grandiosidade. Embora sua estrutura básica seja relativamente estável, é sempre sensível e reage ao nosso esforço de dirigi-lo.

AURA HUMANA

Tudo no universo é composto de vibrações que, por meio de diferentes comprimentos de onda, determinam o que podemos conhecer pelos cinco sentidos. Cada comprimento de onda determina uma freqüência específica, que dá identidade a um fenômeno manifestado, quer seja uma pedra, uma onda de rádio ou um átomo.


O ser humano é um ser magnético por excelência. Irradia vibrações sutis, resultado de sua natureza física, psíquica e espiritual. É o que se denomina de “aura”. Essa aura pode atrair ou repelir, dependendo de sua freqüência vibratória. Por que às vezes temos as mais diversas sensações na presença de outra pessoa, sem nenhuma causa aparente? Isso ocorre porque o corpo humano irradia energia, formando uma aura magnética em seu derredor.
A aura humana é modificada pelos pensamentos e sensações emocionais. Pensamentos de ira, inveja, ganância etc. tendem a emitir energia pestilenta, bastante prejudicial à saúde do emissor e às pessoas próximas a este. Já pensamentos elevados, de amor, gratidão, benevolência etc. irradiam sutilíssimas e brilhantes vibrações, que reagem beneficamente sobre o emissor e sobre as pessoas que lhe estão próximas.


Estamos sujeitos a essas irradiações diariamente. Elas podem ser responsáveis por nosso estado de ânimo, até mesmo pelas nossas impressões intuitivas. Este é um fenômeno natural, parte dos poderes interiores do ser humano que todos possuem, mas poucos compreendem. Aprender a dominar este fenômeno permite ampliar o raio magnético de nossa própria aura e atrair as melhores situações para a nossa vida.

AS CORES DA AURA

Se analisarmos pelo ponto de vista histórico, veremos que as culturas mais antigas usavam as cores como símbolos ou fonte perceptível de poder. Até seus deuses ostentavam suas próprias cores como símbolos de poderio e divindade. Acreditava-se no valor mágico da cor, principalmente para a arte da cura. Além disso, a utilização de cores diferentes para indicar qualidades como bravura, lealdade, status e devoção, constituía uma tradição amplamente difundida.

 

Mesmo hoje, as cores ainda são usadas nas culturas mais desenvolvidas para evidenciar diversos conceitos sociais e religiosos. Dentre os exemplos mais comuns estão o branco representando a pureza, o verde significando vida, o vermelho denotando coragem e o preto expressando luto. Inúmeras universidades se valem das cores para diferenciar campos diferentes de aprendizado. No exercito, varias cores e suas combinações adquirem significado especial na linguagem em código.

 

No âmbito pessoal, é fato que as nossas emoções sofrem grande influencia das cores. Algumas são estimulantes e outras, repousantes. A maioria de nos sente prazer com certas cores e desprazer com outras. As pesquisas têm mostrado que há cores que despertam o apetite, enquanto outras provocam a sensação de odor. Existem aquelas consideradas neutras. Quase todos têm predileção por uma cor, e entre as favoritas está o azul.

 

Talvez não surpreendentemente, a coloração é um dos atributos fundamentais da aura humana, uma vez que constitui uma manifestação visível de energia em que cada cor designa funções energéticas especificas. A aura arco íris se caracteriza pela disposição das cores em camadas esféricas que circundam o corpo. Algumas vezes essas camadas são distintas e, em outras, misturam-se suavemente, criando regiões fronteiriças de coloração mista. As cores podem aparecer na aura sob a forma de borrões desordenados que se desvanecem em outras tonalidades, ou podem compor corpos monocromáticos isolados (bloqueios energéticos). Apesar da aura humana jamais ser inteiramente branca ou negra, áreas brancas ou negras podem surgir ocasionalmente em forma de pontos concentrados de luz ou escuridão, e não como regiões extensas.

 

Além da distribuição, a intensidade, amplitude e nitidez das cores da aura também variam muito. De quando em quando, pequenas concentrações de cor iridescente e muito brilhante podem ser notadas numa aura que, não fosse por isso, seria absolutamente comum. Em geral, a intensidade, a amplitude da cor, constituem indicadores confiáveis do poder de sua energia, de modo que quanto mais intensa e ampla a cor, mais fortes são sua influencia e importância simbólica. A nitidez ou luminosidade da cor é outro índice de sua força, pois quanto mais nítida ou luminosa a cor, mais poderosa é a sua influencia sobre a pessoa. Auras esmaecidas ou desbotadas quase sempre exercem um efeito debilitador ou apontam desernegização.

 

 

 A REPRESENTAÇÃO DE CADA COR NA AURA.

 

A aura arco íris se caracteriza pela disposição das cores em camadas esféricas que circundam o corpo. Normalmente, o ser humano tem 8 camadas esféricas, coloridas e cada uma delas possui um papel diferente da outra conforme veremos abaixo:

 

AZUL: cor que representa o nível de equilíbrio do ser humano.

 

VERDE: cor que representa a saúde física e emocional.

 

VIOLETA: cor que representa a capacidade de transmutação de obstáculos, problemas, energias e etc.

 

AMARELO: cor que representa a auto-estima, auto confiança e a capacidade de alcançar sucesso financeiro e profissional.

 

ROSA: cor que representa a afetividade, o amor, os relacionamentos.

 

BRANCO: cor que representa a paz interior do ser humano.

 

VERMELHO: cor que representa o ânimo, a força, a alegria, a motivação do ser humano.

 

DOURADO: cor que representa a proteção do campo áurico

EGO

Designa na teoria psicanalítica uma das três estruturas do modelo triádico do aparelho psiquíco. O ego desenvolve-se a partir do Id com o objetivo de permitir que seus impulsos sejam eficientes, ou seja, levando em conta o mundo externo: é o chamado princípio da realidade. É esse princípio que introduz a razão, o planejamento e a espera no comportamento humano. A satisfação das pulsões é retardada até o momento em que a realidade permita satisfazê-las com um máximo de prazer e um mínimo de consequências negativas.

A principal função do Ego é buscar uma harmonização inicialmente entre os desejos do Id e a realidade e, posteriormente, entre esses e as exigências do superego.


Id: fonte de energia psíquica e o aspecto da personalidade relacionado aos instintos.

 

Ego: aspecto racional da personalidade responsável pelo controle dos instintos.

 

Superego: o aspecto moral da personalidade, produto da internalização dos valores e padrões recebidos dos pais e da sociedade.

 

Em outras palavras:

ID: Constitui o reservatório de energia psiquica, é onde se localizam as pulsões de vida e de morte. As características atribuídas ao sistema incosciente. É regido pelo princípio do prazer (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo).

 

EGO: É o sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as exigências da realidade e as ordens do superego. A verdadeira personalidade, que decide se acata as decisões do (Id) ou do (Superego).

 

SUPEREGO: É algo além do ego que fica sempre te censurando e dizendo: Isso não está certo, não faça aquilo, não faça isso, ou seja, aquela que dói quando prejudicamos alguém, é o nosso "freio".

CAÇANDO E MATANDO O EGO

"Em nosso estado mental normal, nosso ego parece enorme e concreto; ele parece ser justamente nosso melhor amigo, protetor e benfeitor. Mas na verdade, ele é o nosso pior inimigo, uma fraude que nos engana, fazendo-nos sentir que não podemos existir ou viver sem ele. Como um monstro morando em nosso coração, ele está sempre pronto para fazer coisas ruins e causar problemas a nós e aos outros. Nosso ego tem monte de truques para se manter na ativa. Por isso, devemos prestar atenção quando começarmos a nos dizer: "Se eu não cuidar do número um (nós mesmos), não vou trabalhar e vou acabar passando fome"; "Se eu ficar me distraindo com esse assunto de espaço, vou acabar virando um vegetal. Posso até morrer!" O ego tem mais defesas que a OTAN. Cuidado!

 

Não há dúvidas de que é do nosso próprio interesse nos livrarmos desse demônio interior o mais rápido possível (a menos que sejamos masoquistas e gostemos da eterna dor física e mental). Ao recolher e responsabilizar nosso ego de apego a si mesmo por todos os nossos problemas, com certeza geraremos o desejo de cuidar de nosso mundo interno e de nos livrar desse ego o mais rápido possível. Para isso, precisamos enxergá-lo como um mentiroso, examinando se de fato existe como parece ou não.

 

Isso significa dizer a nós mesmos: "Pela lógica, se eu existo tal como parece, devo ser ou um com todo meu corpo e mente, ou separado e diferente deles". Se, quando busco o meu ego, não consigo encontrá-lo nem em minha mente nem em meu corpo, e nem tampouco como algo separado deles, não tenho outra opção senão aceitar que o que estou percebendo é o meu falso senso de individualidade. Precisamos expulsar esse fantasma da máquina.

 

Pensando dessa forma, começamos a caçar nosso ego aparentemente vivo, nosso verdadeiro inimigo, e isso nos força a confrontar nossas suposições nunca examinadas sobre como existimos de fato. Eis um desafio bastante significativo do ponto de vista emocional: descobrir que nossa percepção básica da realidade é uma grande bobagem. Essa é a auto-cura absoluta, e por isso devemos prosseguir, cheios de alegria, nesse nível grosseiro do treinamento espacial.

 

Se sentirmos que o eu, ou nosso ego, é realmente nosso corpo (como as indústrias de cosméticos adorariam que nós acreditássemos), então:

 

  1. Qual parte do corpo somos? A cabeça, o coração, os membros?

 

 

  1. Como tenho muitas partes, devo ter muitos "eus" e muitos "egos".

 

 

 

 

 

 

  1. Se sentimos que nosso ego é a nossa mente, precisamos examinar o que nossa mente é. Temos muitos fatores ou aspectos maiores ou menores da mente: seis sentidos e consciências mentais e cinqüenta e um fatores composicionais (todos os aspectos misturados de clareza e escuridão em nossa mente). Ora, se tenho tantas mentes diferentes, devo ter muitos egos diferentes (uma personalidade múltipla esquizofrênica com cinqüenta e sete identidades).

 

 

 

 

  1. "Penso, logo existo" — "Se sou minha mente, posso viver sem meu corpo".

 

 

  1. Se sentimos que somos a combinação de nosso corpo e mente, devemos tentar seguir o seguinte raciocínio:

 

 

Não sou meu corpo.

 

Não sou minha mente.

 

Mesmo assim, quando eles estão juntos, chamo-os de "eu". Mas como é possível que dois "não sou" tornam-se um "eu sou"? Pense nisso! Esse é um enigma profundo e cheio de sentido, não uma piada.

 

É o mesmo que chamar de "foguete" a uma combinação de todas as partes de um foguete. Na verdade, nenhuma delas separadamente é o foguete, mas à união de todas as partes damos o nome de "foguete". Enquanto estamos satisfeitos com o simples nome das coisas e não investigamos nosso mundo com mais profundidade, tudo parece estar certo. Os carros, as pessoas, os computadores, tudo trabalha e funciona. Mas se verificamos o que há por trás das ilusões, perceberemos que não há qualquer foguete que exista independentemente, mas apenas um objeto surgido interdependentemente, dependendo de suas partes, causas, condições etc. Esse é o misterioso milagre da realidade.

 

Quando buscamos as coisas em si, elas desaparecem. Mas quando as aceitamos elas funcionam maravilhosamente bem, até o momento em que se quebram, adoecem e morrem.

 

 

 

 

 

Esse nada não é o frio vácuo morto do espaço externo ou a completa negação da vida que nos ensinaram nas aulas de filosofia. A experiência da vacuidade, ou do espaço absoluto, é preenchida por uma sensação de extrema bem-aventurança e uma profunda paz. Sem dúvida, segundo os nossos sentidos, não há nada lá, mas de alguma forma encontramos a sensação de arrebatadora alegria de tocarmos a essência da vida e o tecido fundamental da realidade. Ainda assim, não há nada lá. É fascinante e maravilhoso. Então, compreendemos de verdade o monstro que é o nosso ego, nos impedindo completamente de ter essa arrebatadora experiência. O eu é realmente muito egoísta.

 

Todas as vezes que "caçamos o ego", devemos tentar manter a mente ingênua como a mente de uma criança. Não é bom começar o jogo pensando, "Já sei a resposta" ou "Que tédio!", pois assim não poderemos ter o impacto emocional do inacreditável fato de que de repente nosso ego desapareceu, fugiu envergonhado. Quando nosso inimigo interior tiver sido exposto como uma fraude, um mentiroso e um traidor, a fantasia de sua existência se desintegrará no nada. Mas não se preocupe: ele voltará para nos assombrar por muitos e muitos anos. Está apegado a nós tanto quanto nós estamos apegados a ele. Matar o ego é um processo difícil e demorado. Mas é absolutamente benéfico e, por isso, devemos persistir com alegria. Nossa porcentagem de vitória crescerá passo a passo e, um dia, teremos vencido completamente.

 

Assim, tendo exposto nosso ego como uma fraude, usando a luz de nossa sabedoria, tudo que nos resta é uma negação, um vasto espaço ou vacuidade que não implica em nada mais, mas prova apenas que nosso ego independente nunca existiu. O vasto espaço da vacuidade não prova nem confirma mais nada.

 

As pessoas comuns, em geral, necessitam de muito espaço individual e sempre se sentem desconfortáveis em espaços pequenos e em multidões. O antídoto para essa sensação e para o "ser comum" é familiarizar a mente com o vasto espaço interior do não-ego, não-eu, não-meu! A auto-cura não é desenvolver o ego, mas dissolvê-lo no espaço. Assim, sempre nos sentiremos muito confortáveis e relaxados, mesmo se estivermos rodeados por trinta pessoas gritando todas ao mesmo tempo.

 

Algumas pessoas sentem medo quando entram em contato com esse imenso espaço interior, sentindo que fizeram desaparecer a si mesmas. Mas não há motivo para se preocupar: apenas fizemos desaparecer temporariamente nossa alucinação ou fantasia do ego. A energia do apego ao ego é tão forte nas pessoas comuns que certamente reaparecerá logo. Quando chegar o momento de você entrar em contato com o espaço interior, não se preocupe, seu corpo e mente e seu eu, surgidos interdependentemente, ainda estão aqui".

O EU E O EGO

Nossa existência nos leva a experimentar a tristeza para que possamos reconhecer a felicidade. Sim, creio que precisamos do preto para reconhecer o branco, precisamos da fome para reconhecer a saciedade, precisamos da carência afetiva para reconhecer a felicidade de amar. Mas somos gratos por aquilo que recebemos? Bem, essa é outra historia! Normalmente nos esquecemos de agradecê-Lo por aquilo de bom que recebemos, mas nos queixamos, sim, nos queixamos muito por aquilo que não temos. De manhã, quando abrimos os olhos, nos lembramos de agradecer a Deus pela vida? Normalmente o Eu interior agradece, mas o Ego não. Sabem o por quê? O Ego é o outro eu, ou seja, é um eu imaginário, criado não à imagem e semelhança de Deus, mas à imagem e semelhança dos outros!



O Ego se espelha nos outros, pois é criado em nós pelo ambiente, pela sociedade em que vivemos, pela mãe e pelos parentes que nos rodearam quando crianças. É através dessas pessoas que construímos o Ego. São eles, aqueles que nos rodeiam, que permeiam nossa mente de modelos para nos servirem de espelho. O Ego nos é útil, faz parte de nossa personalidade e não podemos prescindir dele, pois vivemos numa sociedade e precisamos estar inseridos nela, nos espelhando e nos adequando a ela. Por exemplo, vamos trabalhar de manhã e nos vestimos de acordo com as regras desta sociedade. Se vivemos no Brasil ou noutro país ocidental, estaremos vestindo um terno (os homens) uma roupa discreta e elegante (as mulheres) e nos sentiremos assim inseridos no contexto. Se vivemos num país oriental, estaremos nos vestindo de outra forma, nos comportando de outra forma, de acordo com outras regras, não é mesmo? Não são somente as regras de vestir, mas todo nosso comportamento é moldado e resulta no nosso Ego. Assim, pouco a pouco, ao crescermos, construímos em nós uma identidade, como se fosse um outro Eu. E acabamos acreditando ser esse nosso verdadeiro Eu! Mas o Eu interior, aquele que é alimentado pela centelha divina dentro de nós, este é diferente, único, não precisa de espelho, não precisa de regras, recebe alento somente do Criador. O Eu está sempre feliz!



Por essa razão, podemos fazer essa constatação: o Eu não sofre, quem sofre é o Ego. Vamos fazer um exercício: quando experimentarmos algo ruim, uma dor, por exemplo, vamos nos perguntar: é o Eu que está sofrendo ou é o ego? Creio que o Eu sofre ao ver outro ser humano sofrer e então sente aquela dor como sua e corre para aliviar o sofrimento alheio. A isso chamamos de Amor Universal, que nos faz sentir solidários, integrados ao TODO. O Ego, por sua vez, sofre porque vê outro ser humano ‘ter’ algo que ele não tem. O Ego sofre mais que o Eu e se aprendermos a reconhecer essa dor, esse sofrimento, se aprendermos a fazer essa diferença então viveremos mais serenos.

NOSSO EGO, NOSSO ESPÍRITO

Nosso ego sempre desconfia da nossa potencialidade e duvida que o espírito pode dar conta da vida humana.

 

Nosso espírito reconhece nossa luz interior, que faz brilhar os olhos e gera luz nas mãos e sempre encontra um jeitinho para ajudar o próximo.

 

Nosso ego está sempre olhando para o escuro, se perde, e arruma confusão, pois na escuridão não dá pra enxergar e destrói tudo o que toca sem saber se é bom.

 

Nosso espírito se faz no equilíbrio da própria energia que contagia, nos próprios atos diante da vida e sempre conserva as amizades pelo carisma.

 

Nosso ego nunca crê que podemos agir equilibradamente, pela confusão constante na falta de entendimento e na irritabilidade constante que perturba sua mente.

 

Nosso espírito representa o valor além dos sentidos convencionais, porque aceita ser amado, reconhece o amor pela própria liberdade que tem, não precisa comprovar, pois sente e acredita que tudo é para o nosso bem.

 

Nosso ego duvida do amor, reclama toda dor e falta-lhe compreensão para os conflitos  que pensa que é amor.

 

Nosso espírito é feliz sem precisar entender, pelo encontro consigo mesmo transmitindo alegria no viver, respirando o frescor do ar que irriga todo ser.

 

Nosso ego se irrita, implica e muitas vezes, usa a crueldade e julga agressivamente o outro sem entender sua dor, na incompreensão de si mesmo.

 

Nosso espírito aceita e aguarda calmamente o nosso ego para o momento do encontro em que a união acontece e juntos passam a seguir harmoniosamente, o ego se sente amparado, e no compromisso da sua tarefa, abre os ouvidos a voz suave do espírito, que conduz a sua caminhada suave e mantém na vida a construção para o bem que crê no mundo melhor.

 

Assim renasce todo o bem refletido na terra e torna-se mente, corpo e sentimento num só, ecoando no Universo!

EU SUPERIOR

Dentro de todos nós existe um "Eu" (Eu Superior) que reflete as nossas mais belas qualidades. Faz parte desse Eu a nossa sabedoria, a nossa capacidade de amar, a nossa força, a nossa coragem, a nossa luz. É ele quem nos indica sabiamente a direção a tomar quando estamos perdidos, é ele quem nos encoraja a superar obstáculos e nos empurra com firmeza em direção à vida e ao crescimento. É ele que nos ajuda a acreditar em nós mesmos, a amar e a perdoar.

 

O Eu Superior é a vossa metade que ficou cá em cima. É como se fosse um parceiro de percurso. É a vossa alma. O vosso espírito entrou no corpo ao encarnar, mas deixou a sua metade cósmica cá em cima.

 

Têm em comum um projeto de vida que planearam ao pormenor, antes de reencarnarem. Tudo foi analisado e verificado para que, nesta vida, se conseguisse limpar o maior número de karmas possível. Sempre respeitando o livre arbítrio, é claro.

 

A única questão importante que se põe agora é esta:

 

Quem é que está em condições de saber o que foi planeado?

 

Quem se lembra? 

 

(…) Não se lembrará.

 

A não ser... que consiga conectar-se com aquela metade que está lá em cima, essa metade acompanha-a e torce para que ela se lembre... para que ela honre o prometido.

 

Essas duas metades, alma e espírito, Eu Superior e Eu Inferior, quando se juntam, fazem explodir um mundo de energia. Esses dois, quando se juntam, fazem crescer a eternidade.

 

A alma (o Eu Superior) conhece o passado e o futuro, conhece o bem e o mal e as armadilhas inerentes. Conhece o caminho e sabe como chegar lá. É só perguntar. É só pedir para saber. Se pedires ajuda ao teu Eu Superior nas mais básicas actividades do quotidiano, vais ver a extensão que isto tem. Vocês os dois, juntos, vão até ao fim do mundo.

O CAMINHO AO EU SUPERIOR

O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas (guardiões do segredo) está na compreensão dos "Eus" ou Espíritos



A) No corpo físico

B) Nos corpos espirituais

C) Nos corpos etéricos



OBS.: Os corpos espirituais são chamados de "Eus" ou ainda, "consciências".



A) Corpo Físico " Os "Eus" estão ligados ao corpo físico interpenetrando as células totalmente.



OBS.: Apenas o Eu inferior e o Eu médio é que tem essa capacidade de atuação, pois possuem um corpo "AKA" que trabalha para essa interligação.



O Eu Superior fica de fora se ligando apenas ao Eu Inferior pelo "cordão de prata", composto de uma substância etérica.



O importante é entender que essa energia quando bem trabalhada é captada e transformada pelo Eu inferior a partir da alimentação, do ar, dos pensamentos, que ingeridos são compartilhados com os outros "Eus". Podemos aumentá-la pela ação da mente.



B) Corpos Espirituais ou Eus ou Consciências (todas são entidades separadas)



1. Eu Inferior (subconsciente) é a sede da
memória, das emoções.

 

Controla as funções corporais e está sujeito às sugestões. Muito cuidado com o que você pensa! Está ligado ao Eu Médio como um irmão mais velho. Impregna todas as células, deslizando com seu corpo "AKA" ora para dentro ora para fora. Como foi explicado, o Eu inferior capta essa força (também conhecida como prana, mana, Ki, energia onozone, energia vital, etc.) da alimentação, do ar e da luz do sol. Essa sobrecarga é usada para fazer as "formas-pensamento", para recarregar as forças de uma pessoa doente, cansada, etc.



OBS.: Essa força é usada nos fenômenos de transporte e levitação.



2. Eu Médio (Espírito que fala " nosso consciente). Transforma a força vital do Eu Médio para uma voltagem mais alta. Essa energia precisa ficar forte o tempo todo para fazer com que o Eu inferior obedeça as ordens transmitidas a ele pelo Eu médio. Aí está todo o segredo das nossas preces e realizações. Saber pedir e ordenar com força de vontade, fé, conhecimento do bem e do mau em benefício do próximo, da humanidade e em seu próprio benefício. Nunca deixe que seu Eu inferior fuja do seu controle. Quem controla o Eu inferior através da força de vontade imprimindo nele noções de bem e mau, certo e errado é o Eu médio que tem a tarefa de trabalhar com o Eu inferior e o Eu Superior.



3. Eu Superior (
super consciente) " É considerado o anjo da guarda e o seu símbolo é o Sol e a Luz. Durante o sono, ele se encarrega da cristalização do nosso futuro. Aprender a contatá-lo corretamente é uma tarefa importante para nós.



Os benefícios do contato com o Eu Superior são: construir um futuro melhor, maior e melhor prosperidade e saúde.



As preces e pedidos passam por ele, pelo cordão de prata, o qual o Eu inferior está encarregado de mandar toda a energia acumulada para o Eu Superior. Ele nos ama incondicionalmente o tempo todo, portanto, devemos amá-lo também da mesma forma.



Ele transforma em uma voltagem mais alta nossa energia enviada a ele. Essa força é usada na solidificação das formas-pensamento em forma de pedidos ou preces garantindo um futuro forte e saudável para nós.



Eis algumas instruções para se conectar melhor com o seu Eu Superior.



- Elaborar bem o pedido que se deseja fazer em todos os detalhes e bem visualizado.



- ter fé.



- aprender a armazenar a energia (mana, prana, ki, etc.)



- perdoar sempre



- usar a prece-ação. Meditar com o Eu Superior.



- Pedir ao Eu inferior com amor que entre em contato com o "Eu Superior".



A vida normal é aquela em que os 3(três) "EUS" vivem em harmonia.

COMO ENTRAR EM CONTATO COM SEU “EU SUPERIOR”

Podemos nos comunicar com nosso Ser Superior de formas bem simples:

- Primeiramente é preciso estabelecer a intenção clara e firme de estreitar esta comunicação.



- Depois é preciso colocar a nossa atenção no que acontece ao nosso redor de uma forma diferente - buscando ver sinais e mensagens distintos e mais sutis. Estas mensagens não são tão claras e tangíveis como gostaríamos que fossem, mas com a prática vão se tornando mais óbvias.



- Peça ao seu Ser Superior que o ajuda nesta comunicação e envie mensagens cada vez mais claras que você consiga perceber. As mensagens podem surgir numa frase de um livro, num documentário na TV, num sonho, na letra de uma música, no formato de uma nuvem, enfim podem vir de mil formas diferentes.



- Você pode fazer um diário anotando nele aquilo que considera ser uma "mensagem". Após alguns dias de anotações começará a perceber nexo entre as mensagens.



- Você pode fazer uma pergunta antes de dormir e ficar atento ao que sonha e ao que surge em sua mente logo ao acordar. Anote tudo.



- Uma outra forma muito interessante é através de um oráculo como cartas dos anjos, Tarot, Runas, I Ching, pêndulo, etc.
Conforme vai praticando uma destas formas de comunicação com seu Ser Superior, também vai desenvolvendo a habilidade de entendê-lo mais facilmente.



Sua meta deverá ser a de unir-se e fundir-se com seu Ser Superior, de modo que possa manifestar neste plano de três dimensões este nível de vibração mais rápido e uma consciência mais ampla e superior em qualidade.



 

Mas devo ressaltar a importância de fazer uma profunda limpeza e cura emocional em seu eu básico ou criança interior. Não podemos integrar em nosso corpo físico níveis superiores de vibração e consciência, sem haver limpado nossa criança interior das crenças de frequência e consciência mais densas e baixas.



Sua comunicação com seu Eu Superior pode chegar a ser plena e maravilhosa, mas sem a limpeza sempre será distorcida por suas crenças antigas. Não existe outro caminho nem nenhuma outra fórmula: somente através de uma profunda e intensa limpeza e cura emocional da sua criança interior é que poderá alcançar níveis superiores sem serem distorcidos por suas crenças atuais.



Tal qual seu Eu Superior, sua criança interior é uma parte sua, está em você, é você. Mas esta parte é a que mais precisa ser integrada através de muito amor e compreensão. Até que esta parte, nossa criança interior, seja resgatada, curada e integrada, não seremos capazes de nos fundir na totalidade do nosso Ser.

ENCONTRE O SEU “EU SUPERIOR”

Se todos temos dentro de nós um Eu Superior, porque tantas vezes nos sentimos perdidos, apegados a situações limitadoras, abandonados e absolutamente sós?

 

Bem, imagine a sua vida como se fosse uma floresta. Visualize essa floresta com vários tipos de plantas, muitas delas medicinais. Vizualize também pedras, grandes e pequenos animais e tudo o mais que faz parte de uma floresta, da sua floresta. Imagine agora que nessa floresta exista uma pequena rosa azul, meio escondida pela vegetação, e que essa rosa tenha a capacidade de curar todas as suas doenças, sejam elas do corpo, das emoções, da mente ou da alma.

 

Imaginou?

 

Pois bem... talvez você caminhe por essa floresta por toda uma vida e nunca sequer repare naquela flor. Talvez esteja sempre tão apressado, que nunca tenha sentido o suave aroma de suas pétalas, nem reparado na vibrante tonalidade daquele azul. Talvez você prefira acreditar que rosas azuis não existem. E se você acreditar nisso, eu lhe digo, assim será. E a sua rosa permanecerá lá, intocada, sem ser descoberta, por toda a sua vida.

 

Rosas azuis existem? (a decisão é sua)

 

Assim é seu Eu Superior. O tempo todo (agora mesmo!) ele está aí, dentro de você, esperando que você o descubra. Sua presença é sutil, e para encontrá-lo você precisa aprender a valorizar essa sutileza. Você percebe como a sua mente é barulhenta? São pensamentos e mais pensamentos se repetindo, um após o outro, falando sempre as mesmas coisas, rodando e rodando até que você se sinta cansado ou, como diz uma grande amiga minha, até ficar com a "cabeça gorda" de tanto pensar!


Como ouvir a voz de seu Eu Superior em meio a tanta agitação? Como sentir o suave aroma de uma rosa azul meio escondida entre as folhagens, se você sempre passa correndo pela floresta sem nem mesmo perceber que lá é a sua verdadeira morada?


Quantas vezes você pára um pouco a sua vida para estar mais próximo de você mesmo? Observe sua rotina. Você tem momentos de silêncio em sua vida? Consegue ficar só com você mesmo? Sem ler nada, sem conversar, sem TV ??? Por "cinco" minutos?

 

Cinco minutos para você!

 

Para aqueles que querem reencontrar seu Eu Superior e não sabem por onde começar, eu vou propor um começo. Vai parecer fácil, mas se você tentar "meeesmo" colocar isso em prática, verá que não é tão fácil assim. Bem, a minha proposta é que você dedique a si mesmo, e só a você, cinco minutos, todos os dias. Apenas cinco minutos. Cinco minutos em que você feche os olhos e se imagine entrando na sua floresta, em busca da sua rosa azul. Que tal?

 

Acredite, você precisa se voltar para dentro, porque você não vai encontrar seu Eu Superior no mundo externo. Você precisa entrar na floresta, precisa reencontrar sua natureza interna, ouvir seu ritmo, lembrar-se de quem você é. E então, quando você tiver reatado contato com essa parte luminosa de você, poderá voltar-se para fora e descobrirá que essa luz estará em tudo o que existe, como se a separação entre o dentro e o fora deixasse de existir. Quando você se torna sagrado, percebe que tudo é sagrado também.

 

Os momentos da minha vida em que me senti mais próxima de meu Eu Superior foram momentos simples.



Tive uma idéia... Vou dividi-los com vocês. Deixem me lembrar... ah... quando brinquei com minhas cachorras naquelas poças de água. Ou quando eu era criança e me deitava à noite naquele colchonete velho, lá na casa de Ubatuba e ficava sozinha olhando para o céu. Ou naquela vez em que saí para pescar ao luar com meu pai e tudo se tornou magicamente perfeito. Na verdade, não importa tanto "o que" se esteja fazendo, e sim "quem estamos sendo". Encontrar o Eu Superior é estar plenamente presente, aceitando tudo como é. É tornar sagrado o momento, seja ele qual for. É ter a noção de que a vida é um pequeno sopro que acontece num instante tão mínimo, que não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar um segundo sequer.

 

Agora mesmo você pode sentir o que estou tentando lhe dizer, se perceber o quanto este exato momento é único em sua vida. Este exato momento em que você lê estas linhas no seu computador nunca se repetirá. Este momento contém tudo o que você precisa para reencontrar seu Eu Superior, e com ele a totalidade da Vida. Basta que você mergulhe nele, agora mesmo, como se não existisse nenhum passado e nenhum futuro. Como se este momento fosse a sua única chance de tocar a felicidade. E é!

 

Quando reencontramos o nosso Eu Superior e aprendemos a mantê-lo em nossas vidas, tudo adquire um novo significado. Nossa visão se amplia, nossos sentidos se refinam, nossas emoções se acalmam, nosso pensamento adquire a clareza cristalina de um lago de águas límpidas e tranquilas. Finalmente nos sentimos em paz, mesmo em meio aos movimentos, muitas vezes caóticos, da vida. É como se encontrássemos um lugar seguro e sempre disponível dentro de nós.



No entanto, como nos mitos que falam de um santuário sagrado escondido no topo de alguma montanha, por mais que existam indicações, acreditar e iniciar essa busca é algo que só você pode fazer.

O QUE ME FAZ SOFRER

 O ser humano de maneira geral, tem um hábito desenvolvido de se queixar da vida, das situações, daquilo que não dá certo, daquilo que não ocorre da maneira que espera, daquela pessoa que não me deu o afeto que eu desejava, e muitos outros etcéteras.

 

Estas queixas costumeiras da raça humana são eivadas de um conjunto de outros padrões que tradicionalmente as acompanham, e permitem que cada um de nós, baseados nas aprendizagens familiares, sociais, raciais, políticas ou religiosos, venhamos a entrar em sofrimento.

 

 

Normalmente antes de entrarmos em sofrimento, vem a queixa como porta bandeiras anunciando em seu estandarte, um estado emocional normalmente de dor, mágoa, tristeza, decepção, inconformação, etc, que está prestes a desfilar em nossa avenida do sofrimento.

 

 

O que faz eu me queixar? O que é esta queixa? O que tem por trás dela? Por qual motivo a queixa pode me levar ao sofrimento?

 

 

Vamos raciocinar um pouco. Nesta dimensão que vivemos o sete tem um valor de vital importância e segundo o desejo dos Deuses Criadores deste quadrante do Universo, somos dotados de sete corpos e no nosso 3º.corpo, que é o corpo Emocional, temos a estrutura que é a sede de quase tudo aquilo quem nos faz sofrer.

 

 

Seres eternos, feitos à imagem e semelhança do Deus Criador, e nascendo nesta dimensão com a finalidade de vivermos a aprendizagem de harmonizar a luz original de nossa criação, com a sombra que se tornou o aprendizado de nossas experiências, este chamado corpo emocional, tem um significado especial, pois ele armazena a aprendizagem que cada um de nós está desenvolvendo no aqui e agora de nossas existências.

 

 

Em cada vida que aqui experenciamos, uma grande parte destes conteúdos, certamente aqueles que não foram bem sedimentados ou entendidos, ficam depositados neste corpo emocional, esperando outra oportunidade do aprendizado ser feito, e assim, o que está lá guardado, volta à tona para que a experiência seja revista e possamos fazer a catarse integradora, que é olhar novamente para o evento que aconteceu e dele tirar o aprendizado que na primeira vez não conseguimos obter.

 

 

Este nosso corpo emocional, está ligado ao chamado mental inferior, que é a sede do ego, e este tão famoso ego, tem em seus registros todos os desejos humanos. Poder, supremacia, apego, orgulho, vaidade, medo, culpa e tantas outras qualidades que permanecem como uma criança, cobrando, exigindo, reclamando, por isso esta nossa parte também é chamada de Criança Interior.

Todos estes conteúdos que estão lá armazenados são as nossas partes que precisam ser curadas.

 

 

Observe sua vida. Olhe um pouco para seu dia-a-dia, e perceba quantos conteúdos voltam à tona em cada momento de nossas existências. Diante daquilo que me é servido como prato principal pelo cardápio de minha psique, como eu lido com estes conteúdos? Como eu os enfrento?

 

 

De maneira geral, o ser humano, tem neste ego ou arquivo um enorme arsenal de queixas. É a vítima exigindo reparação do mundo. É o próprio mundo que não reconhece meu valor e não me aceita ou se adapta à minha vontade. São as outras pessoas que tentam o tempo todo atrapalham meus planos. São várias outras pessoas que teimam em não me obedecer e fazer as coisas da maneira que sei que é certa. É aquela mulher atrevida, que teima em ser mais bonita do que eu, além disso, mais simpática e popular. É aquele que tem um carro melhor do que o meu.... quantas queixas e comparações à mais poderíamos fazer neste momento?

 

 

Sinta você que agora está em contato com este texto, quantas observações neste sentido existem em sua vida, e fica o tempo todo vindo á tona exigindo reparação?

 

 

Então, respondendo à primeira pergunta, o que faz eu me queixar, podemos entender que é um determinado índice de frustração que eu tenho dentro dos meus arquivos, que são dominados pelas emoções do ego, que precisa sempre se fazer aceito e admirado pelos outros e ao ver-se frustrado, reclama, cobra, exige e muitas vezes não se conforma.

 

 

Esta maneira que nosso emocional desenvolveu para lidar com as frustrações, demonstra que a experiência aqui nesta 3a. Dimensão é um aprendizado profundo e persistente e quem não se ligar, quem não se olhar, dificilmente sairá desta experiência, e poderá viver as experiências transcendentais de nosso 5º. Corpo, que é o corpo do Eu Superior ou Corpo Crístico, onde encontramos a plenitude possível à vida nesta Dimensão.

 

 

O nosso ser queixoso, nosso corpo emocional, nosso ego ou criança interior, deseja que o mundo seja feito à sua imagem e semelhança. ele desenvolveu determinadas necessidades de carinho, de afeto, de proteção, de poder, de ser reconhecido, de ser amado, de ser mais do que outra pessoa, de ter mais do que qualquer outro, de ser mais belo e quando a vida, que nos dá apenas o que é justo e necessário, não obedece aos seus desejos, vem o sofrimento.

 

 

Todo sofrimento humano está baseado à não aceitação das coisas como devem ser. Quando a raça humana compreender que existe um plano maior, apesar do nosso livre arbítrio, que tudo na vida tem um propósito divino, antes do humano, e fizer sua parceria com o universo, muitas das coisas que hoje nos fazem sofrer deixarão de existir em seus motivos.

 

 

Aprenderemos a viver em amor, em amorosidade, passaremos a não julgar nossos semelhantes, aceitaremos cada um como é, reconhecendo o divino que existe em cada um, abriremos canais verdadeiros de amizade e de prazer para compartilhar as relações humanas. Construiremos uma sociedade junta harmônica e feliz. 

COMO ELEVAR A VIBRAÇÃO

Isto pode ser feito de muitos modos, através da remoção dos blocos que você criou nesta encarnação ou em outra, e também trabalhando para remover o corpo emocional.

 

O corpo emocional está conectado ao Ego. Não há nada que o Ego goste mais do que um bom drama.

 

E ele consegue esse drama ao usar e desencadear o corpo emocional e as suas emoções.

 

Quando você pensar em quanta energia você desperdiça com emoções, você perceberá que você desperdiça uma quantidade enorme de energia. Essa energia poderia ser usada na criação de mais energia na sua própria vida para habilitá-lo a desenvolver mais a sua energia espiritual.

 

Assim que se removem as emoções da alma, a visão fica clara. Pode-se ver muito melhor o passado, o presente e, sim, o futuro.

 

O Eu Superior não tem emoções. Ele é um observador, ele conhece o caminho certo. Ele sabe qual o caminho você vai seguir. Ele direciona você para este caminho mesmo antes de você nascer.

 

Quando você remove as emoções, então você se torna ilimitado porque o Ego não tem mais nada para se agarrar.

 

Deixe ir as emoções e o corpo emocional e aí você poderá voar!

PARA SE PROTEGER DAS ENERGIAS NEGATIVAS

Todos nós sabemos, as energias negativas são uma das preocupações do ser humano. Procurar fugir delas é besteira. Elas nos alcançam em qualquer lugar do planeta. Mas, podemos nos defender, começando a tomar uma série de atitudes e providências.

 

 

Abaixo, seguem seis dicas pessoais para começar a combatê-las.

 

 

 

1.     NÃO TEMER NINGUÉM;

 

 

Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo. Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os ataques. Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais, temer significa falta de fé. O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando- nos assim vulneráveis às forças externas. Sentir medo de alguém é dar um atestado de que ele é mais forte e poderoso. Quanto mais você der força ao opressor, mais ele se fortalecerá.

 

 

 

2.     NÃO SINTA CULPA;

 

 

Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem. Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força) vulnerável ao agressor. A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e fecha os caminhos para a prosperidade. Um dos maiores recursos utilizados pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas conquistas. Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido. Sustente as suas vitórias sempre!

 

 

 

3.     ADOTE UMA POSTURA ATIVA;

 

 

Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a situação. Lembre-se sempre do exemplo do cachorro: quem tem medo do animal e sai correndo, fatalmente será perseguido e mordido. Já quem mantém a calma e contorna a situação pode sair ileso. Ao invés de pensar que alguém pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo beneficamente? Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem? Por que será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas? Antes que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.

 

 

 

4.     FIQUE SEMPRE DO SEU LADO;

 

 

A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a "Auto-Obsessão". A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto houver uma idéia de dominação, de desigualdade humana, enquanto um se achar mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo respeito mútuo. Mas grande parte dos problemas existe porque não nos relacionamos bem com nós mesmos. ‘Auto-Obsessão’ significa não se gostar, não se apoiar, se autoboicotar, se desvalorizar, não satisfazer suas necessidades pessoais e dar força ao outro, permitindoque ele influencie sua vida, achar que os outros merecem mais do que nós. Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar mais valor à opinião dos outros. Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem as portas para toda sorte de pessoas dominadoras e energias de baixo nível. A força interior é nossa maior defesa.

 

 

 

5.     SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADAS;

 

 

As flechas não alcançam o céu. Coloque-se sempre em posições elevadas com bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros. Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as energias do mal, que têm pequeno alcance, não o atinjam. Essa é a melhor forma de criar ‘incompatibilidade’ com as forças do mal e energias incompatíveis não se misturam.

 

 

6.     FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS.

 

 

As vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em nosso campo são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a ‘mente’ e o ‘coração’. Além de manter o coração e mente sempre resguardados das energias dos maus pensamentos e sentimentos, fuja das conversas negativas, maldosas e depressivas. Evite lugares densos e de baixo nível. Quando não puder ajudar, afaste-se de pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo da vida. O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes, músicas e passatempos de baixo nível.

Escrever comentário

Comentários: 0

  • loading